maio 13

O povo brasileiro e a síndrome do conformismo

0
0

Ano: 2014. Século: XXI. O tempo passa, a tecnologia avança, os problemas sociais mudam de “roupa”, e o povo brasileiro continua sofrendo da síndrome do conformismo. O problema é que nossa conformidade está relacionada às coisas mais graves do cotidiano. Este artigo não está embasado em dados concretos, pesquisas científicas; e sim, na convivência diária que tenho com inúmeras pessoas em todos os meios possíveis; o motivo deste artigo é nada mais do que minha inquietação pessoal (e que quero compartilhar com você leitor) com a maneira que a maioria de nós vê as desgraças do dia a dia.

Quem nunca ouviu as seguintes frases (?): “Munícipio tal está pior do que o nosso”, “Pelo menos aqui tem hospital”, “Pior é na cidade X, que nem médico ou escola tem”, “Rouba, mas faz”, “Pelo menos paga o salário em dia”, etc., etc., etc. Nosso povo sofre de uma “doença” que parece não ter cura: o conformismo com a nossa desventura. Quando se fala de algo que vai mal na cidade ou no país, alguém surge com um dos textos acima; como se o fato de o município ou o estado vizinho estar numa situação pior fosse motivo pra pensar: ‘Apesar de tudo até que estamos bem’ ou ‘Podia ser pior’.

E é em pensamentos como esses que o mau político se apoia e constrói seu império de desmando, corrupção, abandono e mazelas. A cada vez que um cidadão se conforma com o que há de ruim na sociedade perdemos a chance de mudança; perdemos a chance de raciocinar sobre a situação do país, de pensar como os maus políticos “lavam” a cabeça de seus eleitores de todas as maneiras; perdemos a chance de fiscalizar o poder público, de questionar onde está o nosso dinheiro (fruto do nosso trabalho, nosso suor), de averiguar por que as obras tão alardeadas em período eleitoral não saíram das cartilhas dos candidatos; perdemos a chance de exercer cidadania.

Precisamos entender que não é porque o município onde residimos tem hospitais, escolas e o município vizinho não tem que devemos nos conformar com o fato de ter um governante que ‘rouba, mas faz’. A população precisa perceber que o problema de um também é problema de todos; e que enquanto houver uma única cidade que esteja sendo assolada por todo tipo de mazela não temos motivo pra nos conformar com nada. Dar-se por satisfeito em meio ao caos é um dos sintomas desse mal que nos acomete; que mesmo parecendo não ter cura, tem sim tratamento.

Pagar salário em dia é apenas uma das obrigações de um representante do poder executivo; construir, reformar, equipar instituições públicas e fazê-las funcionar de maneira eficaz é obrigação do poder público; não há nada de bondoso nisso. Políticos são servidores públicos; pessoas que se candidatam por livre e espontânea vontade a um cargo remunerado para o exercício de determinada função. Não são heróis, não são divindades; são apenas funcionários da sociedade.

Não há motivos para continuarmos presos ao pensamento de que ‘pelo menos’ temos alguma coisa. Precisamos internalizar a certeza de que merecemos tudo a que temos direito e que é garantido constitucionalmente, e entender, de uma vez por todas que a mudança somos nós quem fazemos; e que quem realmente detém este poder somos nós. Fingir que estamos bem enquanto a criminalidade aumenta, a impunidade se prolifera, o descaso com a população cresce a dados alarmantes é iludir-se sobre a própria condição. Mas, infelizmente, enquanto o caos se alastra muitos de nós continuam na praça dando milho aos pombos.

Núrya Ramos

-73

abril 22

Juntos pela Terra

0
0

Olá, pessoal. Hoje é Dia Mundial da Terra; e o Oráculo não poderia deixar passar essa data tão importante, até porque este blog está completando um mês de vida hoje! Estamos comemorando nosso primeiro aniversário juntamente com a mãe Terra. Que honra! Mas vamos lá: o que é o Dia Mundial da Terra?

“A data foi criada em 1970, pelo senador norte-americano Gaylord Nelson que resolveu realizar um protesto contra a poluição da Terra, depois de verificar as consequências do desastre petrolífero de Santa Barbara, na Califórnia, ocorrido em 1969. Todos os anos, no dia 22 de Abril, milhões de cidadãos em todo o mundo manifestam o seu compromisso na preservação do ambiente e da sustentabilidade da Terra” (Calendar).

Mas aí fica a pergunta: precisamos mesmo de um dia comemorativo pra lembrar que temos um compromisso com o planeta? Na verdade não deveríamos necessitar disso; mas, infelizmente, vivemos numa sociedade em que precisa haver um dia comemorativo pras coisas pra que se repare nelas; precisamos do Dia da Consciência Negra pra militar pelo combate ao racismo; do Dia da Árvore pra lembrar da preservação ambiental e por aí vai. É lastimável? Sim; é.

O fato é que a Mãe Terra necessita, sim, de nós. Não só hoje (22 de abril), mas em todos os dias do ano. Precisamos ter compromisso com este planeta que é nossa casa. Você pode não conseguir barrar o desmatamento da Amazônia, por exemplo; mas pode colaborar pra reflorestar sua cidade, seu bairro, sua rua, seu quintal. São inúmeras as ações que podemos e devemos empreender em prol do planeta, da preservação das espécies, do cuidado com a vida. Abaixo temos algumas ações que você, cidadão que pensa no futuro, pode fazer pelo bem da Terra:

dia-mundial-da-terra

  • Plante uma árvore (ou mais, se você puder);
  • Não jogue lixo no meio ambiente ou nas águas (lixeiros servem para isso!);
  • Colabore com a coleta seletiva de lixo;
  • Ajude no combate à poluição de rios, riachos, lagos, mananciais, mares e oceanos;
  • Não desperdice água (feche a torneira enquanto você escova os dentes);
  • Conserte vazamentos de torneiras e canos em sua casa (parecem apenas pingos, mas acredite, com o passar do tempo são litros de água potável desperdiçados);
  • Avise a companhia de águas de sua cidade sobre canos quebrados nas ruas;
  • Desligue as luzes de cômodos onde não houver nenhum tipo de atividade no momento;
  • Descarte pilhas e baterias em coletores próprios para isso;
  • Vá de bicicleta ao trabalho ou escola, sempre que possível (caso não possa, ofereça carona de carro a um amigo; será um carro a menos nas ruas naquele momento);
  • Fiscalize o poder público de sua cidade e se informe sobre o que está sendo feito pela preservação ambiental e redução dos consumos de água e energia elétrica;
  • Colabore em ações pelo combate ao desmatamento e extinção de animais (denuncie crimes ambientais às autoridades competentes);
  • Não lave sua calçada (se quiser lavar reaproveite a água que você usou pra lavar a roupa, por exemplo; já ajuda muito);
  • Procure maneiras de reutilizar objetos em outras funções (você pode economizar dinheiro com isso também);
  • Observe se há o ‘Selo Verde’ em móveis construídos com madeira;
  • Dê preferência a objetos feitos com material reciclado na hora das compras;
  • Ajude a levar a mensagem de cuidado com a Terra por onde você for (se cada um militar em favor desta causa teremos uma qualidade de vida melhor e alcançaremos o desenvolvimento sustentável).

Todo dia é dia de cuidar do planeta; dia de melhorar nossas ações. Todo dia é dia de exercer cidadania.

Núrya Ramos

Referências

Google Imagens

http://www.calendarr.com/portugal/dia-mundial-da-terra/

-57