junho 22

Lei de Gérson – a cultura da falta de ética

0
0

Você já ouviu falar no ‘jeitinho brasileiro’? Aposto que sim. Com certeza, você também deve ter a sua definição sobre essa expressão’; mas vejamos o que isso realmente significa. A Lei de Gérson – popularmente conhecida como “jeitinho brasileiro” – originou-se de uma propaganda dos cigarros Villa Rica lançada em 1976, em que Gérson de Oliveira – um dos melhores meio-campistas da história do futebol brasileiro – aparece falando sobre as vantagens do cigarro em questão.

A frase “Gosto de levar vantagem em tudo, certo? Leve vantagem você também”, acabou perdendo-se do contexto original, passou a ser interpretada erroneamente e difundiu a ideia de que vale tudo para levar vantagem – até mesmo cometer atos ilícitos – o que fez com que o errado parecesse certo.

Apesar de ser um jogador já consagrado na época, o “Canhotinha de Ouro” ficou marcado pela famosa propaganda do Villa Rica, o que o fez declarar posteriormente que arrependeu-se de ter estrelado a campanha que associou sua imagem ao pensamento de que é permitido qualquer coisa desde que se leve vantagem com isto; porém era tarde demais: seu nome já havia batizado a mais famosa “lei” brasileira.

O fato é que a maioria de nós brasileiros (na verdade, creio que todos nós) já se beneficiou com o tal jeitinho ou já fez uso dele em algum momento, e ainda ficamos mundialmente famosos por isso. De acordo com o diretor do comercial, o publicitário José Monserrat Filho, “houve um erro de interpretação, o pessoal começou a entender como ser malandro. No segundo anúncio dizíamos: ‘levar vantagem não é passar ninguém para trás, é chegar na frente’”. Tarde demais para a marca Villa Rica tentar desfazer o engano; as pessoas já haviam dado nome a algo que, no íntimo, já sabíamos que existia.

jeitinho 2

O cidadão Gérson de Oliveira – que miseravelmente deu nome à este tipo de prática – ao que parece ‘joga no time adversário’: o dos que importam-se mais com os benefícios coletivos. O ex-jogador dirige o “Projeto Gerson” e é Presidente de Honra do Instituto Canhotinha de Ouro, com sede na cidade de Niterói e que “atende cerca de 3.000 crianças e adolescentes que vivem em situação de risco social, por vezes tirando-os das ruas, dos sinais de trânsitos a esmolar, das marquises, das drogas, fornecendo-lhes esportes, alimentação, planos médico e odontológico, acompanhamentos pedagógico, nutricional e psicológico” (Infonet).

Enraizado na cultura popular, o jeitinho brasileiro é sinônimo da vantagem a qualquer preço, sem o respeito à ética, valores ou princípios morais. Da população mais simples à mais afortunada e abastada, todos conhecem essa maneira peculiar utilizada no dia-a-dia ilimitadamente.

O tal jeitinho não deixa de ser também uma forma de corrupção – conduta incorreta que atribuímos apenas a políticos desonestos, mas que também está presente em muitos atos cotidianos da sociedade como um todo. Corrupção não é sinônimo apenas de desvio de verba como muitos possam pensar; trata-se também de pequenas atitudes antiéticas, desonestas e ilegais, que você, caro leitor, pode não considerar corrupção, mas que de fato é, como por exemplo: furar fila, oferecer suborno a um guarda, não devolver o troco que veio a mais, colar nas provas, plagiar trabalhos, etc.

jeitinho 1

Na literatura nacional, Macunaíma – o herói sem nenhum caráter criado por Mário de Andrade – e a dupla João Grilo e Chicó – personagens de O Auto da Compadecida, de Ariano Suassuna – representam o povo brasileiro em seus mais variados traços de personalidade, e em cuja história de vida explica-se o comportamento, muitas vezes, ilícito e imoral.

As práticas que constituem o ‘jeitinho brasileiro’ são, na maioria das vezes, justificadas por quem nelas incorre como uma maneira de reparação aos danos causados pelo governo. A população sente-se injustiçada e preterida em inúmeras situações, e parte de nós responde a isto cometendo infrações, sob a justificativa de que já fomos prejudicados e que não há mal algum em certos atos, mesmo sabendo que isso também prejudicará a outros.

Não há problema em desejar prosperar na vida, elevar o status social; trata-se aqui dos meios que se usa para alcançar estes e outros objetivos. Segundo a historiadora e pesquisadora da boemia Maria Izilda Matos, “a lei de Gerson funcionou como mais um elemento na definição da identidade nacional e o símbolo mais explícito da nossa ética ou falta de ética” (Isto É).

jeitinho 3

Entre aqueles que beneficiam-se dos cofres públicos para interesses particulares e os que se beneficiam através de pequenas atitudes antiéticas, a diferença reside no tamanho da oportunidade que cada um teve; pois a falha no caráter já existe, o que determinará o alcance da ação será o nível da oportunidade a que cada um teve acesso.

Se desejamos, enquanto sociedade, políticos melhores, precisamos educar as crianças e os mais jovens numa consciência diferente, onde o bem estar coletivo esteja sempre sobreposto ao particular. Teremos muito mais vantagens com um comportamento assim – que beneficiará a todos indistintamente – do que em atitudes que beneficiam apenas um único indivíduo (ou pequeno grupo de indivíduos) em detrimento dos demais.

Núrya Ramos

 

Fontes:

http://www.infoescola.com/curiosidades/lei-de-gerson/

http://www.istoe.com.br/reportagens/27207_LEI+DE+GERSON

http://www.infonet.com.br/archimedes/ler.asp?id=153450

-24

junho 16

Gigantes pela Própria Natureza (Animais)

0
0

Este artigo inaugura uma série que pretendo trazer, de gigantes em todos os reinos e eras que existem e existiram em terras hoje brasileira. Espero que esta série passe a todos uma lição de grandeza e humildade, e valorização da natureza da qual nascemos, da qual dependemos, e da qual essencialmente somos parte.

Uma breve listagem de gigantes da fauna brasileira, a exuberância da natureza nas terras a que chamamos de nossa pátria. Muitos destes magníficos animais estão ameaçados de extinção; seja pela caça ilegal, ou pela destruição de seu habitat.

Besourão - Titanus giganteus (Floresta Amazônica)
Maior inseto do Planeta, e também o maior invertebrado a voar. Mede 22 cm, e pode pesar 70 gramas. se alimenta de material orgânico em decomposição na floresta.
Onça Pintada, Jaguar - Panthera onca (Floresta Amazônica, Pantanal)
É o maior felídeo das Américas, e um predador implacável. Chega aos 2,10 metros de comprimento e pesa em média 150kg. Sua dieta é vasta, incluindo principalmente capivaras, répteis e peixes gigantes como o Pirarucu. A onça chega a atacar outros predadores superiores, como Jacarés e anacondas.
Mariposa Imperador - Thysania agrippina (Amazônia)
É a maior mariposa do mundo, dividindo o típulo com a mariposa Atlas, do outro lado do mundo, ambas com até 30 cm de envergadura. Outro record mundial está no olfato do macho, capaz de detectar uma fêmea virgem a incríveis 11 km de distância.
Tatu Canastra, Tatuaçu - Priodontes maximus (Quase todo Brasil)
Maior Tatu do mundo, com até um metro de comprimento, mais 50 cm de cauda e pesando até 60 kg. Possui garras enormes, especializadas para escavar.
Sucuri Verde - Eunectes Murinus (Amazônia e Pantanal)
É uma das maiores serpentes do mundo, e a mais pesada. A Sucuri Verde pode alcançar 10 metros de comprimento e pesar 300 kg. É um predador superior, capaz de matar por constrição (esmagamento com seu corpo) grandes presas, e depois devorar-las lentamente, para uma demorada digestão.
Aranha Golias - Theraphosa blondi (Amazônia)
É a maior aranha do mundo, chegando a mais de 30 centímetros de comprimento e pesando tanto quanto um pequeno filhote canino. Extremamente agressiva, se defende soltando pelos urticantes no ar ou com uma pouco venenosa porém extremamente dolorosa mordida com quelíceras de 2 cm de comprimento, capaz de perfurar ou rasgar a pele humana. É conhecida como devoradora de pássaros, porém ataca também insetos, sapos e pequenos mamíferos.
Jacaré Açu - Melanosuchus Niger (Amazônia)
É o maior jacaré do Mundo, chegando a 5,5 metros de comprimento e quase meia tonelada de peso. Um Açu adulto pode predar qualquer animal de seu habitat, inclusive outros predadores superiores, como a Onça Pintada e a Sucuri. No entanto geralmente prefere presas menores mais numerosas, como peixes, tartarugas e capivaras.
Peixe Boi, Goarará ou Manati - Trichechus inunguis (Bacia Amazônica)
É dos maiores mamíferos de água-doce do mundo, com 2,5 metros e 300 kg de peso. É um animal herbívoro e de vida solitária, sem nenhum inimigo natural além do homem.
Harpia - Gavião Real - Harpia harpyja (Amazônia)
Com quase um metro, até dois metros de envergadura (com as asas abertas) e até 10 kg de peso, figura entre as maiores aves de rapina do mundo, e ostenta o título de ser a mais forte. A Harpia possui um bico potente e garras maiores que a de um Urso Pardo, em pernas com a robustez do punho de um homem adulto. É um predador superior, e sua dieta inclui desde aves e répteis menores até macacos e filhotes de veados.
Pirarucu - Arapaima Gigas (Bacia Amazônica)
O Pirarucu é um dos maiores peixes de águas pluviais e lacustres do Brasil e do Mundo. O animal chega a 3 metros de comprimento e a pesar 200 kg.

Próximos artigos da série “Gigantes pela própria Natureza”:

  • Gigantes pela Própria Natureza (Plantas)
  • Gigantes pela Própria Natureza (Rios)
  • Gigantes pela Própria Natureza (Povos)
  • Gigantes pela Própria Natureza (Pré-história)

 

-17