abril 30

Por que Nós?

0
0

Éramos célebres líricos, éramos sãos
Lúcidos céticos, cínicos não
Músicos práticos, só de canção
Nada didáticos, nem na intenção
Tímidos típicos, sem solução
Davam-nos rótulos, todos em vão
Éramos únicos na geração
Éramos nós dessa vez

Tínhamos dúvidas clássicas, muita aflição
Críticas lógicas, ácidas não
Pérolas ótimas, cartas na mão
Eram recados pra toda a nação
Éramos súditos da rebelião
Símbolos plácidos, cândidos não
Ídolos mínimos, múltipla ação

Sempre tem gente pra chamar de nós
Sejam milhares, centenas ou dois
Ficam no tempo os torneios da voz
Não foi só ontem, é hoje e depois
São momentos lá dentro de nós
São outros ventos que vêm do pulmão
E ganham cores na altura da voz
E os que viverem verão

Fomos serenos num mundo veloz
Nunca entendemos então por que nós
Só mais ou menos

– Marcelo Jeneci –

 

-65

Category: Música | LEAVE A COMMENT
abril 14

Isso é Brasil

0
0

Como é que vocês querem ser feliz esse ano
Deixando a responsa com o Feliciano
Humanos direitos vai ter o direito
De ter um monstro nos direitos humanos
Daqui a pouco vão tacar mais lenha
Querer acabar com a lei Maria da Penha
Se pá ele vai pedir o seu cartão
Mas vê se não vai esquecer de dar a senha

(Voz Feliciano pedindo senha do cartão)

Eu mantenho minha fé em nós
Do que no seu Deus que está nas igrejas
Que só ama quem põe na bandeja
E manda pro inferno quem toma uma breja
Tá rolando dinheiro a vera
E tu quer saber onde que tão os seus
Na assembleia dos deputados
Ou se tá na assembleia de Deus
Ou se tá lá na Universal
Se pá teve lá na Mundial
Ou tá la na igreja da graça
A Igreja que é internacional
Apóstolo estuprando seu bolso
E o cristão estuprando o gatilho
O pastor estuprando a fiel
E o padre estuprando seu filho

Mas se for olhar profundamente
Os problemas com crente é peixe pequeno
O Brasil é o país da festa
E o que nos resta é tá no veneno
Brasileiro quer ser mais malandro
Explorando os bolivianos
Enquanto isso o nosso Nióbio
Sai daqui por debaixo dos panos
Observe de perto, meu mano
Olha lá nossos governadores
Não investem na educação
Pra não ter uma geração de pensadores
Pensadores tentaram avisar
Mas você fingiu que não viu
Aqui a bunda vale mais que a mente
Infelizmente esse é o Brasil

O problema tá lá no nordeste
Tá aqui em São Paulo e também tá no Rio
Isso é Brasil
Isso é Brasil
A bandeira são somente cores
Os nossos valores você não sentiu
Isso, Isso é Brasil
Isso, Isso é Brasil
Autoridades não usam ideias
Só usam onomatopeia do Shiu
Isso é Brasil
Isso é Brasil
Mc Garden tá aqui te falando
Tu tá escutando, será que ouviu?
Isso é Brasil
Isso é Brasil

Sistema de saúde precário
Só de lembrar até passou mal
Me incomodo menos com a doença
Do que com a demora do hospital
Brasileiro achando legal
Ser tratado como animal
Mas como é que vamos reclamar
Se às vezes nós agimos como tal?
Violência policial
É melhor nem tocar nesse assunto
Porque daqui a pouco vão excluir esse vídeo
E se eu falar muito vão me excluir junto
Agora olha nossos os buzão
Que as 7 da manhã não cabe mais ninguém
E logo mais aumenta a condução
E vocês vão achar que está tudo bem
Tão querendo acabar com os índios
Que é a origem do nosso país
O dinheiro tá mandando em tudo
E deixando mudo quem quer ser feliz
A pressa tá matando ciclista
E nas avenida mais um arregaço
O que dá a sorte de ter vivido
O piloto maldito joga fora o braço
Na rede social só piada
Também alienando a massa
Ou garota posando pelada
Quer tá na playboy, mas fez isso de graça
Mcs esqueceram da paz
Jovens como antes não se fazem mais
O casal chega na adolescência
E na mó indecência eles já vão ser pais
Onde é que estão os pais?
Será que estão presos na cela?
Ou será que tão presos na sala
Em frente uma TV assistindo a novela?
Pensadores tentaram avisar
Mas você fingiu que não viu
Aqui a bunda vale mais que a mente
Infelizmente esse é o nosso Brasil

O Problema tá lá no nordeste
Tá aqui em São Paulo e também tá no Rio
Isso é Brasil
Isso é Brasil
A bandeira são somente cores
Os nossos valores você não sentiu
Isso é Brasil
Isso é Brasil
Autoridades não usam ideias
Só usam onomatopeia do Shiu
Isso é Brasil

(Mc Garden)

-46

Category: Música | LEAVE A COMMENT
abril 10

Os corações não são iguais

0
0

 

Você tem o tempo que quiser
De você aceito o que vier
Menos solidão
Me promete tudo outra vez
Na esperança louca de um talvez
Me basta a ilusão

Só te peço o brilho de um luar
Eu só quero um sonho pra sonhar
Um lugar pra mim
Eu só quero um tema pra viver
Versos de um poema pra dizer
Que eu te aceito assim

O que eu sei é que jamais vou te esquecer
Eu me agarro nessas fantasias pra sobreviver
Eu não sei se estou vivendo de emoção
Mas invento você todo dia pro meu coração

Deixe saudade e nada mais
Por que é que os corações não são iguais
Diga que um dia vai voltar
Pra que eu passe minha vida inteira me enganando

Deixe saudade e nada mais
Por que é que os corações não são iguais
Diga que um dia vai voltar
Pra que eu passe minha vida inteira te esperando

O que eu sei é que jamais vou te esquecer
Eu me agarro nessas fantasias pra sobreviver
Eu não sei se estou vivendo de emoção
Mas invento você todo dia pro meu coração

Compositores: Augusto Cesar e Paulo Sérgio Valle

Intérprete: Roupa Nova

-44

Category: Música | LEAVE A COMMENT
março 21

O Mundo É Um Moinho

0
0

 

Ainda é cedo, amor
Mal começaste a conhecer a vida
Já anuncias a hora da partida
Sem saber mesmo o rumo que irás tomar

Presta atenção, querida
Embora eu saiba que estás resolvida
Em cada esquina cai um pouco a tua vida
Em pouco tempo não serás mais o que és

Ouça-me bem, amor
Preste atenção, o mundo é um moinho
Vai triturar teus sonhos tão mesquinhos
Vai reduzir as ilusões a pó

Presta atenção, querida
Em cada amor tu herdarás só o cinismo
Quando notares estás à beira do abismo
Abismo que cavastes com teus pés

 

– Letra: Cartola

Intérprete: Cazuza –

-91

Category: Música | LEAVE A COMMENT
março 6

Rosa de Hiroshima

0
0

Pensem nas crianças
Mudas telepáticas
Pensem nas meninas
Cegas inexatas
Pensem nas mulheres
Rotas alteradas
Pensem nas feridas
Como rosas cálidas
Mas, oh, não se esqueçam
Da rosa da rosa
Da rosa de Hiroshima
A rosa hereditária
A rosa radioativa
Estúpida e inválida
A rosa com cirrose
A anti-rosa atômica
Sem cor sem perfume
Sem rosa sem nada

– Letra: Vinicius de Moraes

Intérprete: Ney Matogrosso –

-37

Category: Música | LEAVE A COMMENT
janeiro 27

We Shall Dance

0
0

 

 

We Shall Dance

We shall dance, we shall dance
The day we get a chance
To pay off all the violins of the ball
We shall dance, we shall dance

The day we get a chance
To get a dime to buy back our souls
We shall dance, we shall sing my dear love, oh, my spring

My love good days will come

You’ll see the corn will grow in spring
In spring time
My spring time

We shall dance, we shall dance
The day we get a chance
To pay off all the violins of the ball
We shall dance, we shall stay

With the children at play
Lord I swear when the time comes, we’ll pray

We shall dance, we shall sing
My dear love, oh, my spring

My love you’ll have a house
With roof and walls
Fire with coal
My soul, my soul

We shall dance, we shall dance
The day we get a chance
To pay off all the violins of the ball
We shall dance, we shall stay

With the children at play
Lord, I swear when the time comes, we’ll pray

 

(Demis Roussos)

Devemos Dançar

Devemos dançar, devemos dançar
O dia em que conseguirmos a chance
De pagar todos os violinos do baile
Devemos dançar, devemos dançar

O diaem  que conseguirmos a chance
De conseguir uns trocados para comprar de volta nossas almas
Devemos dançar, devemos cantar meu querido amor, oh, minha primavera
Meu amor bons dias virão

Verás o milho crescer na primavera
No tempo de primavera
Meu tempo de primavera

Devemos dançar, devemos dançar
O dia em que conseguirmos a chance
De pagar todos os violinos do baile
Devemos dançar, devemos ficar

Com as crianças que brincam
Senhor eu juro, quando a hora chegar, rezaremos
Devemos dançar, devemos cantar
Meu querido amor, oh, Minha primavera

Meu amor terás uma casa
Com telhado e paredes
Fogo com carvão
Minha alma, minha alma

Devemos dançar, devemos dançar
O dia em que conseguirmos a chance
De pagar todos os violinos da baile
Devemos dançar, devemos ficar

Com as crianças que brincam
Senhor, eu juro, quando a hora chegar, rezaremos

 

-46

Category: Música | LEAVE A COMMENT
janeiro 23

A Seta e o Alvo

0
0

 

Eu falo de amor à vida,
Você de medo da morte.
Eu falo da força do acaso
E você de azar ou sorte.

Eu ando num labirinto
E você numa estrada em linha reta.
Te chamo pra festa,
Mas você só quer atingir sua meta.
Sua meta é a seta no alvo,
Mas o alvo, na certa, não te espera.

Eu olho pro infinito
E você de óculos escuros.
Eu digo: “Te amo!”
E você só acredita quando eu juro.

Eu lanço minha alma no espaço,
Você pisa os pés na terra.
Eu experimento o futuro
E você só lamenta não ser o que era.
E o que era?
Era a seta no alvo,
Mas o alvo, na certa, não te espera.

Eu grito por liberdade,
Você deixa a porta se fechar.
Eu quero saber a verdade
E você se preocupa em não se machucar.

Eu corro todos os riscos,
Você diz que não tem mais vontade.
Eu me ofereço inteiro
E você se satisfaz com metade.
É a meta de uma seta no alvo,
Mas o alvo, na certa não te espera!

Então me diz qual é a graça
De já saber o fim da estrada,
Quando se parte rumo ao nada?

Sempre a meta de uma seta no alvo,
Mas o alvo, na certa, não te espera.

Então me diz qual é a graça
De já saber o fim da estrada,
Quando se parte rumo ao nada?

 

– Paulinho Moska –

-52

Category: Música | LEAVE A COMMENT
janeiro 3

Balada do Louco

0
0

 

Dizem que sou louco por pensar assim
Se eu sou muito louco por eu ser feliz
Mas louco é quem me diz
E não é feliz, não é feliz

Se eles são bonitos, sou Alain Delon
Se eles são famosos, sou Napoleão
Mas louco é quem me diz
E não é feliz, não é feliz

Eu juro que é melhor
Não ser o normal
Se eu posso pensar que Deus sou eu

Se eles têm três carros, eu posso voar
Se eles rezam muito, eu já estou no céu
Mas louco é quem me diz
E não é feliz, não é feliz

Eu juro que é melhor
Não ser o normal
Se eu posso pensar que Deus sou eu

Sim sou muito louco, não vou me curar
Já não sou o único que encontrou a paz
Mais louco é quem me diz
E não é feliz
Eu sou feliz

(Ney Matogrosso)

-32

Category: Música | LEAVE A COMMENT
dezembro 19

A Whiter Shade of Pale

0
0

 

A Whiter Shade of Pale 

We skipped a light fandango

Turned cartwheels ‘cross the floor

I was feeling kind of seasick

The crowd called out for more

 

The room was humming harder

As the ceiling flew away

When we called out for another drink

The waiter brought a tray

 

And so it was that later

As the miller told his tale

That her face, at first just ghostly

Turned a whiter shade of pale

 

She said, “There is no reason

And the truth is plain to see”

But I wandered through my playing cards

Would not let her be one of sixteen vestal virgins

Who were leaving for the coast

 

And although my eyes were open

They might have just as well been closed

And so it was later

As the miller told his tale

That her face, at first just ghostly

Turned a whiter shade of pale

 

And so it was that later

(Procol Harum)

Um tom mais branco de palidez 

Nós não dançamos o suave fandango

Demos cambalhotas pelo chão

Eu estava me sentindo meio enjoado

Mas a multidão pedia bis

 

O barulho no salão ficava maior

Enquanto o teto girava

Quando pedimos mais uma bebida

O garçom trouxe a bandeja

 

E foi aí que, mais tarde

Quando o moleiro contou sua história

O rosto dela, a princípio apenas fantasmagórico

Ganhou um tom a mais de palidez

 

Ela disse que não há razão nenhuma

E a verdade era tão clara

Mas eu estava maravilhado com o jogo de cartas

E não a deixava que ela fosse uma das dezesseis virgens vestais

Que partiam para o litoral

 

E embora meus olhos estivessem abertos

Daria no mesmo se eles estivessem fechados

E foi aí que, mais tarde

Quando o moleiro contou sua história

O rosto dela, a princípio apenas fantasmagórico

Ganhou um tom a mais de palidez

 

E foi aí que, mais tarde





-103

Category: Música | LEAVE A COMMENT
novembro 13

Alagados

0
0

Todo dia o sol da manhã
Vem e lhes desafia
Traz do sonho pro mundo
Quem já não o queria
Palafitas, trapiches, farrapos
Filhos da mesma agonia
E a cidade que tem braços abertos
Num cartão postal
Com os punhos fechados na vida real
Lhe nega oportunidades
Mostra a face dura do mal

Alagados, Trenchtown, Favela da Maré
A esperança não vem do mar
Nem das antenas de TV
A arte de viver da fé
Só não se sabe fé em quê
A arte de viver da fé
Só não se sabe fé em quê

 Os Paralamas do Sucesso –

-48

Category: Música | LEAVE A COMMENT