setembro 24

Belzebu: da mitologia cananeia à quimbanda afro-brasileira

0
0

Belzebu – cujo nome tem origem no hebraico e é derivado de Baal Zebul ou Baal Zebub, também conhecido como Belzebuth – é uma divindade maligna advinda das mitologias filisteia e cananeia que ganhou destaque na Bíblia em várias passagens em que é considerado o próprio Diabo. Belzebu é um amálgama de duas entidades poderosas bastante conhecidas das mitologias cananeia e fenícia:

Baal: senhor dos trovões, da agricultura e da fertilidade; deus associado à morte e à crueldade; possuía os mesmos atributos de Zeus (pai dos deuses e dos homens na mitologia grega) ou Odin (deus principal do clã dos deuses na mitologia nórdica);

Zebub: deus das moscas e da pestilência.

Segundo a mitologia Zebub e Baal eram inimigos, até que Baal aliou-se a grandes magos de seu tempo para derrotar Zebub. Na batalha épica entre os dois deuses Zebub foi derrotado e suas forças se expandiram pelo cosmo, o que deu origem a um grande abismo que acabou por sugar os dois unindo-os num único ser – Baalzebub, cujo poder excedia ao dos dois deuses antes inimigos. Seu espírito foi lançado ao inferno até que foi resgatado por Satã – o chefe dos anjos rebeldes.

No cristianismo moderno Belzebu é um dos nomes do próprio diabo. Na demonologia cristã ele é um dos sete príncipes do inferno, sendo a personificação da gula – um dos sete pecados capitais. É também referenciado como o “Príncipe dos Demônios, Senhor das Moscas e da Pestilência, Mestre da Ordem”. É conhecido como O Quarto, por ser o quarto demônio mais poderoso do inferno – sendo inferior apenas a Lúcifer, Satã e Belfegor. Ainda de acordo com esta demonologia, Belzebu seria irmão mais velho de Lúcifer – pertencente à geração de Behemoth, pai de Belial, um dos demônios mais poderosos (Wikipedia).

No evangelho de Marcos há a seguinte passagem: “Também os escribas, que haviam descido de Jerusalém, diziam: Ele está possuído por Belzebul: é pelo príncipe dos demônios que ele expele os demônios” (3, 22). Nesta passagem Jesus é acusado de estar possuído pelo próprio demônio e assim conseguiria expulsar demônios de outras pessoas possuídas; ao que o Messias se defende, pois não poderia agir contra o diabo se estivesse possuído pelo mesmo.

belzebuEmbora seja assim apresentado na Bíblia, Belzebu era uma divindade adorada pelos filisteus e cananeus na cidade bíblica de Ekron, localizada a cerca de 30km de Jerusalém. Os cananeus depositavam oferendas perecíveis a esse deus; e ao entrarem em estado de putrefação nos altares, eram imediatamente tomadas por moscas – fato que fez com que os judeus passassem a zombar da divindade estrangeira nomeando-o ‘senhor das moscas’.

Na Quimbanda – segmentação da umbanda – Belzebu, juntamente com Lúcifer e Astaroth forma uma tríade, maioral entre os Exus (exatamente o oposto da trindade divina). Os trabalhos desta entidade na Quimbanda são voltados a alta magia amorosa, financeira, trazendo dons na sabedoria da manipulação dos elementos do cotidiano, e sobre os altos escalões sociais. É ele quem distribui os dons e poderes aos outros exus e pombas giras.

Cultuado por povos antigos, Belzebu é uma figura mitológica presente há muitos séculos na história da humanidade. Ser híbrido – metade homem, metade bode – Belzebu instiga a mente pela maneira como é retratado: sua imagem (além de chamar atenção por ser a de um híbrido entre um humano e um animal) também remete à androginia (pois tem características masculinas e femininas), possui asas como as dos anjos, além de duas luas à sua volta, um pentagrama em sua testa e a presença de duas serpentes que parecem saídas de seu corpo. A mesma imagem é também utilizada para retratar Baphomet – divindade pagã de tradições ocultas.

 

Núrya Ramos

 

Fontes:

http://www.a12.com/formacao/detalhes/conhecendo-a-biblia-jesus-e-belzebu

Belzebu, Satanás e Lúcifer – parte II

https://pt.wikipedia.org/wiki/Belzebu

https://portaildoinferno.wordpress.com/2011/04/09/a-historia-de-belzebu-senhor-das-moscas/

-20