setembro 12

Ada Lovelace – a pioneira da programação

0
0

Em homenagem ao Dia do Programador, celebrado neste ano no dia 12 de setembro por tratar-se de um ano bissexto – nos anos não bissextos comemora-se no dia 13 de setembro – vamos falar hoje da primeira programadora da história: Ada Lovelace.

Augusta Ada Byron nasceu em 10 de dezembro de 1815 em Londres, Inglaterra. Filha do famoso poeta George Gordon Byron (6º Barão Byron) – mundialmente conhecido como Lord Byron – e de Anne Isabella “Annabella” Milbanke, Baronesa Byron. Ao nascer, a pequena Augusta – assim batizada em homenagem à meia-irmã de Byron, Augusta Leigh – representava uma grande decepção, pois o pai esperava um menino. A menina é a única filha legítima do poeta; os outros filhos nasceram de relações extraconjugais.

Em 16 de janeiro de 1816, a pedido do marido, Annabella mudou-se para a casa de seus pais levando consigo a filha que então tinha apenas um mês de vida. Lord Byron não reivindicou a custódia da pequena Ada – nome dado por ele – como garantia na época a lei inglesa em caso de separação do casal; solicitou apenas que sua irmã o informasse sobre o bem-estar da menina. Em 21 de abril do mesmo ano, Byron assinou a separação e alguns dias depois partiu para sempre da Inglaterra.

Annabella passou então a acusar o ex-marido de comportamento imoral. As acusações contra o poeta voltavam sempre as atenções da sociedade vitoriana para a pequena Ada, tornando-a mais famosa a cada novo escândalo. Desde a separação Byron não viu mais a filha e nunca constitui um relacionamento com ela. Em 19 de abril de 1824, quando Ada tinha apenas oito anos, seu pai faleceu, aos 36 anos de idade em decorrência de febres contraídas no campo de batalha enquanto lutava na Guerra de Independência da Grécia.

Até que completasse vinte anos de idade Ada não foi autorizada a ver sequer um único retrato de seu pai; mantendo-se a mãe como sua única figura parental significativa. Em 1856, a ex-senhora Byron deixou finalmente o sobrenome do ex-marido e tornou-se Baronesa Wentworth.

A educação científica de Ada iniciou-se cedo, pois sua mãe – estudiosa de matemática – tratou de influenciar a filha no mesmo caminho a fim de que ela não trilhasse os passos do pai na poesia; rota que era julgada “insana” por Annabella. Assim como muitos aristocratas da elite londrina, a pequena Ada também foi educada por tutores pessoais, revelando desde a infância grande aptidão para as ciências exatas.

Ada Lovelace aos 19 anos. Pintura de Margaret Sarah Carpenter, 1836.
Ada Lovelace aos 19 anos. Pintura de Margaret Sarah Carpenter, 1836.

Na juventude, seus talentos matemáticos a levaram a travar uma relação de trabalho e de amizade com o também matemático Charles Babbage a respeito de seu trabalho particular sobre a Máquina Analítica. Aos 20 anos, Ada casou-se com o barão William King-Noel – nomeado em 1838, Conde de Lovelace – fato que a fez trocar o sobrenome do pai pelo do marido, passando a assinar então Augusta Ada King, conhecida como Condessa de Lovelace. Da união nasceram três filhos: Anne Blunt, Byron King-Noel e Ralph King-Milbanke.

“Em 1842, Charles Babbage foi convidado a ministrar um seminário na Universidade de Turim sobre sua máquina analítica. Luigi Menabrea, um jovem engenheiro italiano e futuro Primeiro-ministro da Itália, publicou a palestra de Babbage em francês e esta transcrição foi posteriormente publicada na Bibliothèque Universelle de Genève, em 1842” (Wikipedia). Durante este ano e o seguinte Ada traduziu para o inglês, a pedido de Babbage, o artigo de Menabrea sobre o motor complementando-o com um conjunto de sua própria autoria ao qual ela chamou de Anotações.

“Estas notas, que são mais extensas que o artigo de Menabrea, foram então publicados no The Ladies’ Diary e no Memorial Científico de Taylor sob as iniciais “AAL”” (Wikipedia). As notas contem um algoritmo criado para ser processado por máquinas, considerado por muitos o primeiro programa de computador. Ada “também desenvolveu uma visão sobre a capacidade dos computadores de irem além do mero cálculo ou processamento de números”  enquanto outros estudiosos do tema, incluindo o próprio Babbage focavam apenas nessas capacidades (Wikipedia). A Condessa de Lovelace também é dona de questionamentos sobre a Máquina Analítica e sobre como os indivíduos se relacionam com a tecnologia enquanto ferramenta de colaboração.

Em 27 de novembro de 1852, Ada morreu vítima de um câncer uterino aos 36 anos de idade e não pôde ver a máquina que ajudou a criar e sobre a qual trabalhou construída. Embora nunca tivesse tido um relacionamento com o pai, nem sequer o conhecido, foi enterrada a seu próprio pedido ao lado dele, na Igreja de Santa Maria Madalena em Nottingham, Inglaterra.

Réplica da Máquina Analítica de Charles Babbage
Réplica da Máquina Analítica de Charles Babbage

Em 1953, mais de cem anos após a morte da Condessa, suas notas sobre a Máquina Analítica foram republicadas, o invento foi reconhecido como o primeiro modelo de computador e as notas de Ada como a descrição de um computador e um software.

Suas notas foram classificadas alfabeticamente de A a G; nesta última Ada descreve o algoritmo para a máquina analítica computar a Sequencia de Bernoulli (sequencias de números racionais com profundas conexões na teoria dos números), o que é considerado o primeiro algoritmo criado especialmente para ser implementado num computador. Por estas razões, Ada Lovelace é considerada a primeira programadora da história.

Apesar de ter “decepcionado” o pai por nascer mulher, Ada Lovelace certamente teria sido motivo de orgulho para o poeta pela escritora e matemática que se tornou; tendo dado grandes contribuições para a evolução científica da humanidade. Assim como Byron, Ada também escreveu seu nome na história e dela não mais sairá.

Em 1982, uma linguagem de programação estruturada foi nomeada de “Ada” em homenagem à condessa. Anualmente, na segunda terça-feira do mês de outubro, celebra-se o Ada Lovelace Day – cujo objetivo é “lembrar os feitos do sexo feminino nas ciências, tecnologia, engenharia e matemática, assim como encorajar que mais mulheres sigam este caminho” (Olhar digital).

Núrya Ramos

 

Fontes:

http://www.calendarr.com/portugal/dia-do-programador/

http://olhardigital.uol.com.br/noticia/conheca-ada-lovelace-a-1-programadora-da-historia/40718

https://pt.wikipedia.org/wiki/Ada_Lovelace

https://pt.wikipedia.org/wiki/Lord_Byron

https://pt.wikipedia.org/wiki/N%C3%BAmeros_de_Bernoulli

-20


Tags:, , ,
Copyright © 2014. All rights reserved.

Posted 12/09/2016 by Núrya Ramos in category "Grandes Mulheres da História

About the Author

Núrya Ramos é graduada em Serviço Social, pós-graduada em Políticas Públicas e Intervenção Social e atualmente é pós-graduanda em Gestão e Elaboração de Projetos Sociais. Atuou como tutora presencial na Universidade Anhanguera – UNIDERP (2012-2015) e como professora universitária no CEFELMA – Centro de Formação Educacional do Leste Maranhense (2012-2014). Apaixonada por literatura, música, cinema, culinária, mitologia, séries, futebol, fotografia, artes em geral e animais, também é poetisa amadora e flamenguista de carteirinha. Sonha em ser arqueóloga e percorrer o mundo desvendando os mistérios da nossa história.

2 COMMENTS :

  1. By Jonatas Almeida da Silva on

    0

    0

    Artigo magnífico minha Querida.
    Motivador, também. Ver alguém que enfrentou rejeição e preconceitos de seus tempos superar tudo isso e contribuir para o avanço tecnológico de tal forma.
    Adorei no dia do programador ter minha profissão lembrada e homenageada por esse texto maravilhoso, inspirador e didático.

    Obrigado Querida, e Parabéns.
    Te Amo

Deixe uma resposta