junho 21

A ponta do iceberg

0
0

Se você é daquelas pessoas que acha que conhece e entende tudo que se passa ao nosso redor do ponto de vista político, saiba que você, amigo(a) leitor(a), está profundamente enganado. Por mais informado(a), atualizado(a) e “antenado”(a) que possas ser, você, eu e todos nós estamos longe de conhecer e compreender a nossa real situação por completo. E por quê isto acontece??? Por algo que chamo de ‘discurso autorizado pelo poder’. Vivemos numa sociedade onde quase nada (ou nada mesmo) é exatamente o que pensamos ser e como pensamos ser.

Mas o que significa exatamente esta expressão? Bem, o discurso autorizado pelo poder é nada mais do que aquilo que é permitido ser publicado, informado, levado ao conhecimento do grande público. Liberdade de imprensa, por exemplo, é uma expressão belíssima que representa a notícia limpa, sem máscara, o jornalismo honesto e decente, mas as coisas não são sempre assim. O que mais se vê são TVs, jornais, e vários outros meios de comunicação, atendendo a interesses político-partidários quando se trata da não divulgação de escândalos envolvendo corrupção, abuso de poder, desvios de verba e etc. Sem falar em “jornalistas” que se propõem a ‘limpar’ a imagem de certos políticos criminosos quando “vaza” alguma notícia que “deveria” ter sido mantida nos bastidores.

Números são divulgados incorretamente, ex: repasses de verba pública, custos de obras, índices de mortalidade, e etc.; notícias são manipuladas ao bel-prazer de quem será atingido por elas e mais etc. Aquilo que é dito nas tribunas, no parlamento e em meios midiáticos nem sempre corresponde à realidade. As famosas promessas de campanha são feitas apenas a título de iludir a população com garantias de coisas que nunca serão cumpridas na realidade, para que o povo se conforme mais uma vez em escolher aquele candidato ‘menos ruim’ dentre os piores (já que encontrar um bom candidato é tarefa um tanto quanto difícil).

Já experimentamos a ditadura (os famosos anos de chumbo), o exílio, a tortura, a repressão, a violência militar, as mortes, os desaparecimentos; hoje experimentamos a ‘democratura’ – como sabiamente diz o MC Léo Carlos, morador de um bairro periférico de Salvador (BA), ao se referir à ditadura travestida de democracia. A manipulação da realidade e da mente do cidadão (especialmente do eleitor não escolarizado o suficiente para entender ao menos a mínima parte do que lhe afeta) são os grandes guias da cena política que é montada aos nossos olhos. E não são apenas políticos envolvidos neste tipo de engodo, existem também grandes empresários, banqueiros, entre outros.

Por isso, caro(a) amigo(a), se você não faz parte deste complexo e intrincado sistema, deste jogo de poder entre os que comandam o cenário político e financeiro, sinto informar, mas você (assim como todos os que estão nesta condição) desconhece a verdade por trás dos fatos, desconhece aquilo que não foi permitido ser escrito, falado, noticiado. Se já nos decepcionamos com o pouco que sabemos, imagine se tomássemos conhecimento da totalidade do abismo e da complexidade da teia em que fomos lançados.

Núrya Ramos

P.S.: este artigo é fruto de minhas observações enquanto leitora, espectadora e cidadã deste país; por esta razão o mesmo não apresenta fontes ou referências de qualquer natureza.

Artigo relacionado:

O controle mental e o perigo da história única

-108


Tags:, , ,
Copyright © 2014. All rights reserved.

Posted 21/06/2015 by Núrya Ramos in category "Política

About the Author

Núrya Ramos é graduada em Serviço Social, pós-graduada em Políticas Públicas e Intervenção Social e atualmente é pós-graduanda em Gestão e Elaboração de Projetos Sociais. Atuou como tutora presencial na Universidade Anhanguera – UNIDERP (2012-2015) e como professora universitária no CEFELMA – Centro de Formação Educacional do Leste Maranhense (2012-2014). Apaixonada por literatura, música, cinema, culinária, mitologia, séries, futebol, fotografia, artes em geral e animais, também é poetisa amadora e flamenguista de carteirinha. Sonha em ser arqueóloga e percorrer o mundo desvendando os mistérios da nossa história.

2 COMMENTS :

  1. By Arollo on

    0

    0

    Muito bem dito, querida escritora: “Aquilo que é dito nas tribunas, no parlamento e em meios midiáticos nem sempre corresponde à realidade.”
    Somos um pais que apesar de ter um sistema democrata, nao permite que o povo exerce esta cidadania nem contribue para que a evolucao deste principio. Estamos sendo enganados todos os dias por politicos que sao querem o bem proprio, e lutam apensas com o interesse de promover a si mesmo. Ate quando?
    Continue, escritora; muito orgulhosa de voce.

Deixe uma resposta