dezembro 8

Sarcófago de 2.500 anos é aberto nos EUA

0
0

“Depois de 2500 anos o sarcófago de um garoto de 14 anos mumificado no Egito foi aberto e deixou cientistas dos EUA com os nervos à flor da pele. O medo de destruir a relíquia, ainda bem conservada, fez com que os especialistas comemorassem demais a conclusão com êxito.

(…) Dentro do sarcófago, a surpresa. É possível, por exemplo, ver perfeitamente o pé do adolescente mumificado. Outros detalhes, porém, foram destruídos pelo tempo e levaram à abertura do caixão. Agora, com ele aberto, especialistas deverão trabalhar para que partes cruciais sejam restauradas.

Na imagem o pé da múmia em bom estado de conservação
Na imagem o pé da múmia em bom estado de conservação

Assim que a restauração for terminada, o menino-múmia passará a fazer parte do Chicago Field Museum, onde trabalha Brown. “É algo fascinante a conservação em questão, apesar da fragilidade. O objetivo é colocar ela [múmia] em uma exposição móvel, vamos ver”, disse o especialista” (Yahoo).

Os antigos egípcios são reconhecidos pelos amplos conhecimentos em diversas áreas, como: o desenvolvimento de técnicas de extração mineira, topografia e construção que permitiram a edificação de monumentais pirâmides, templos e obeliscos; um sistema de matemática, um sistema prático e eficaz de medicina, sistemas de irrigação e técnicas de produção agrícola, entre outros. Esta civilização exerce verdadeiro fascínio há milênios, sendo as múmias uma parte importante do universo fantástico e misterioso do povo que vivia às margens do rio Nilo.

Núrya Ramos

Fonte:

https://br.noticias.yahoo.com/sarc%C3%B3fago-de-2500-anos-%C3%A9-aberto-em-museu-dos-estados-unidos-170511192.html

-61


Tags:, , ,
Copyright © 2014. All rights reserved.

Posted 08/12/2014 by Núrya Ramos in category "Arqueologia

About the Author

Núrya Ramos é graduada em Serviço Social, pós-graduada em Políticas Públicas e Intervenção Social e atualmente é pós-graduanda em Gestão e Elaboração de Projetos Sociais. Atuou como tutora presencial na Universidade Anhanguera – UNIDERP (2012-2015) e como professora universitária no CEFELMA – Centro de Formação Educacional do Leste Maranhense (2012-2014). Apaixonada por literatura, música, cinema, culinária, mitologia, séries, futebol, fotografia, artes em geral e animais, também é poetisa amadora e flamenguista de carteirinha. Sonha em ser arqueóloga e percorrer o mundo desvendando os mistérios da nossa história.

1 COMMENTS :

  1. Pingback: Ötzi – do Neolítico à atualidade (Parte I) – Oráculo de Cassandra

Deixe uma resposta